José Carlos Cerqueira Santos

 
Obituario-Jose-Squarespace.png

José Carlos conquistou todos os seus sonhos, um a um. Mais importante que casa própria, carro, e até imóvel na praia, fruto de muito suor após um início humilde, encontrou o amor de sua vida, viu seus três filhos formados e teve a sorte de conhecer, e de curtir, uma netinha.

Da pequena Dário Meira, no interior da Bahia, ficaram lembranças de uma infância difícil na roça em meio a muitos irmãos e poucas oportunidades. A perda do pai, com apenas 12, deixaria a situação da família ainda mais dramática por lá. Assim que pôde, seis anos depois, rumou para São Paulo, apostando no trabalho, na sorte e no amor.

Ganhou nos três quando de pedreiro, morando em obras, tornou-se carpinteiro e depois metalúrgico. E também quando, ao visitar um amigo da cidade natal, conheceu e se apaixonou por Joselita, filha dele. A relação vindoura de décadas, definida pela proximidade, parceria e harmonia gerou ainda três filhos, um menino e duas meninas.

Para eles foi um pai afeito a conversas e assim capaz de impor respeito e autoridade. Foi também para os pequenos uma referência de humildade e de honestidade, de alguém que precisou se virar cedo e trabalhar duro para garantir o do dia e conquistar mais. Mesmo sem educação formal, incentivou os três a estudar e teve a sorte e a alegria de vê-los formados.

Quando cansou de trabalhar para os outros montou uma mercearia e bar para chamar de seu. Seguiu lá até depois de se aposentar. O Bar do Zé da Onça ficou bastante conhecido no bairro Jardim Palmira, emprestando o apelido conquistado após uma história de difícil comprovação envolvendo pescaria e a fuga do ataque de um felino de grande porte. Suas crianças, naturalmente, doravante conhecidas como filhos do Zé da Onça.

A pescaria era outro hobbie, sempre rodeado do mesmo grupo de amigos. Saíam equipados e animados ao menos duas vezes por mês, rumo às longas tardes silenciosas na natureza. Conforme foram envelhecendo, um a um foi partindo até que José viu-se um pouco só para esses passeios.

Alimentava o grande sonho de ser avô, adiado na falta de pressa dos filhos em direção à paternidade. Quando Claudio finalmente anunciou a vinda da sua pequena Luísa foi uma alegria enorme para José. Realizou-se a partir daí em casa, curtindo a neta e suas descobertas infantis. Foi levado por uma insuficiência cardíaca, realizado com a vida que mereceu.

Primaveras Digital