Sônia Maria Souza Dantas

 
Obituario-Sônia-Squarespace.png

Sônia resistia à ideia de ficar parada. Sob o signo do movimento e da independência conduziu a própria vida, só parando de trabalhar para criar os filhos. Conquistou seu próprio círculo de amizades com a personalidade expansiva característica e deixou saudades em quem teve a sorte de cruzar seu caminho.

Da infância levava a lembrança da segunda casa onde viveu com a família, na Cidade Patriarca, zona leste de São Paulo. O quintal amplo era o território das brincadeiras entre os sete filhos e as muitas árvores frutíferas fontes de ingredientes para os inesquecíveis doces preparados pela mãe, Larte.

Na terceira casa, no Jardim Brasil, zona norte, conheceu Antonio. Roberto Carlos, Erasmo e Ronnie Von tocavam na rádio e embalavam sua juventude quando encantou-se por aquele vizinho, seu futuro marido.

Já trabalhava à época. Em uma fábrica de doces e depois como caixa em uma agência do Bradesco. Aqueles foram bons tempos, de memórias invocadas por décadas. Ganhava bem e tinha o suficiente para, além de ajudar em casa, alimentar a vaidade com as coisas que gostava: maquiagem, boas roupas, unhas e cabelos feitos.

No nascimento de Adriana, primeira filha do casal após a união, já havia usado o dinheiro da rescisão no banco para construir uma casa no terreno da sogra. Cuidaria da bebê e de André, segundo filho do casal, exclusivamente pelos próximos anos.

Quando tornaram-se adolescentes, Sônia decidiu voltar ao trabalho. Foi aprovada em um concurso em uma escola da prefeitura, onde atuou como Agente de Organização Escolar até se aposentar. Interessava-se pela educação - fora especialmente focada em ensinar valores às suas crianças. Ademais, valorizava o trabalho, onde além de garantir sua independência fazia amigos com o sorriso e a conversa fáceis.

Seu hobbie era a música, ouvia de sertanejo a MPB, das novidades aos clássicos, um prazer seu. E estava sempre querendo arrumar algo na sua casa. Chegou a sonhar em finalmente aposentar-se para viajar, mas a vida reservou-lhe momentos mais difíceis. Descobriu um câncer dois meses após o divórcio com o marido e não resistiu. Sônia partiu antes do que esperava, mas deixou muita saudade por aqui.

Primaveras Digital